Câmara de Cabeceiras de Basto recolhe 22 toneladas de lixo em lixeiras clandestinas

A Câmara de Cabeceiras de Basto recolheu nos últimos dias cerca de 22 toneladas de resíduos de múltiplas características e dimensões em vários locais na freguesia de Arco de Baúlhe e Vila Nune, incluindo monos, resíduos de construção e outros, foi hoje anunciado.

Esta ação faz parte do programa de limpeza de lixeiras clandestinas referenciadas em várias freguesias do concelho, desenvolvido pelo pelouro do Ambiente, sob a coordenação dos Serviços Municipais da Divisão de Ambiente e Salubridade.

Segunda a autarquia, esta ação é realizada “várias vezes durante o ano, com o objetivo de intervir nos locais referenciados e que são conhecidos como os mais afetados pela deposição clandestina e ilegal de resíduos desta natureza”.

Foto: CM Cabeceiras de Basto

O município revela que está em vigor um serviço gratuito de recolha de monos junto das habitações dos munícipes, bastando que os mesmos o solicitem junto do Serviço de Atendimento Único ou queiram depositar diretamente os mesmos no Centro de Recolha de Monos existente nas instalações das futuras Oficinas Municipais, na Ranha, entre as 08:30 e as 13:30.

A autarquia cabeceirense recorda que, de acordo com a legislação em vigor, são proibidos o abandono de resíduos e a descarga de resíduos em locais não licenciados para a realização de tratamento de resíduos, constituindo uma contraordenação ambiental muito grave e que está sujeita a uma coima de 20 mil a 37.500 euros, se praticado por pessoas singulares, e de 38.500 a 2,5 milhões de euros se pessoas coletivas.

ominho.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.