Processo de vacinação arrancou hoje em Cabeceiras de Basto

Arrancou hoje, dia 16 de fevereiro, em Cabeceiras de Basto, o processo de vacinação da Covid-19 para os maiores de 80 anos, bem como para pessoas com idade igual ou superior a 50 anos com doenças associadas (pelo menos uma das seguintes patologias: (doença coronária, insuficiência cardíaca, insuficiência renal ou doença pulmonar obstrutiva crónica).

Nesta fase estima-se que venham a ser vacinadas 1.300 pessoas.Durante esta semana espera-se que a vacinação abranja 210 pessoas, estando prevista na próxima semana a vacinação de mais 400 pessoas.

De referir que a convocatória para o processo de vacinação da Covid-19 é feita pelo telefone e é da responsabilidade da USF O Basto e da USF Arco/Cavez, nas suas respetivas áreas de abrangência. Neste processo, as Unidades de Saúde Familiar (USF) contam com a colaboração das Juntas de Freguesia e da Basto Vida, através do CLDS-4G – Vivências, para contactarem as pessoas cujas chamadas telefónicas não sejam possíveis de estabelecer.A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto está a apoiar o processo de vacinação da Covid-19 através da instalação de uma tenda junto ao Centro de Saúde de Cabeceiras de Basto, com todas as condições de comodidade e climatização, que funciona como sala de recobro.

As Juntas de Freguesia e a Câmara Municipal estão também a disponibilizar apoio ao nível do transporte para quem tiver necessidades, transporte este que será também realizado em articulação com os Bombeiros Cabeceirenses e com a Delegação do Arco de Baúlhe da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) tendo em conta as especificidades de cada pessoa, designadamente ao nível da sua condição física/mobilidade reduzida.A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto apela aos Cabeceirenses para que aguardem até serem contactados pelas referidas autoridades de saúde, informando a população que o processo de vacinação irá decorrer ao longo do ano de 2021.“Ser vacinado contra a COVID-19 permite proteger-nos individualmente contra a doença e suas complicações, bem como contribuir para a proteção da saúde pública, através da imunidade de grupo”, informa a Direção Geral da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *